“Sonangol-Quenguela” já ao serviço da ENI

Navio operado pela Sonadrill, sociedade entre a Sonangol e Seadrill Limited, empresa de perfuração em águas profundas que presta serviço para a indústria petrolífera em todo o mundo.

08 Fev 2020 / 22:22 H.

O navio-sonda angolano “Sonangol-Quenguela”, que esteve retido na Malásia desde Outubro de 2019, já se encontra em Angola e a operar no Bloco 15/06, informou o presidente do conselho de Administração da Sociedade Nacional de Combustíveis de Angola (Sonangol), Sebastião Gaspar Martins, em declarações à imprensa.

Sem revelar o valor do ‘resgate’, afirmou que foram liquidadas as tarifas portuárias e na ocasião anunciou que um segundo navio está na Namíbia para reparações pontuais, devendo regressar a Angola.

A falta de documentos terá sido a causa da apreensão do navio-sonda, registado nas Bahamas. Infrações do género são penalizadas com uma multa calculada em 100 mil ringuites, equivalentes a 11,7 milhões de Kwanzas.

Mas, Sebastião Gaspar Martins garantiu que o navio-sonda tinha toda a documentação de registo e operacional necessário e inclusive tinha uma equipa de tripulantes qualificada, de acordo com os padrões internacionais.