Sociedade mineira chinesa vai explorar nióbio na Huíla a partir do segundo semestre

A sociedade mineira chinesa “Niobonga” está a investir 100 milhões USD para iniciar, no segundo semestre deste ano, a exploração de nióbio, material utilizado na indústria espacial, na província angolana da Huíla.

24 Jun 2020 / 11:11 H.

A informação foi avançada pelo administrador do município de Quilengues, Adriano Pedro, região onde decorreu durante dois anos a prospeção do material supercondutor raro utilizado na indústria espacial, que será explorado, pela primeira vez, naquela zona do país.

Adriano Pedro, citado pela agência noticiosa angolana, Angop, referiu que o nióbio é um dos minerais mais raros do mundo, usado para o fabrico de turbinas, naves espaciais, aviões, mísseis, indústria eletrónica e centrais elétricas, bem como para a produção de ligas de aço ou supercondutores.

A concessão de Quilengues, numa extensão de 160 quilómetros quadrados, localizada no complexo Carbonatito de Bonga e Tchivira, vai ser explorada pela sociedade Niobonga em parceria com a angolana Ferrangol.

Na fase de prospeção foi confirmada a qualidade do minério, já certificada pelas autoridades da província da Huíla.

O responsável frisou que, quando o projeto for iniciado, a região vai beneficiar de melhorias, no âmbito da responsabilidade social da empresa, tratando-se da exploração de jazigos de nióbio, um minério de interesse estratégico.

Depois de dois anos de prospecção, o município de Quilengues, província da Huíla, prevê iniciar, no segundo semestre deste ano, a exploração de nióbio, na montanha da Bonga

Temas