Plataforma logística do Luau custa 17,4 milhões USD

A construção das estruturas da Plataforma do Luau, distribuídas numa área de 7,9 hectares, vai contar com diversas áreas, como a indústria (moagem de cereais, pré-fabricados de betão), turismo e hotelaria, pecuária, exploração florestal e recursos minerais.

Angola /
17 Mai 2022 / 10:49 H.

A Agência Reguladora de Certificação de Carga e Logística de Angola (ARCCLA) abriu o concurso público internacional para a construção e concessão da Plataforma Logística do Luau, província do Moxico, avaliado em 17,4 milhões de USD.

O acto foi presidido pelo secretário de Estado dos Transportes Terrestres, Jorge Bengue, e contou com a presença do Governador do Moxico, Gonçalves Muandumba.

Do valor global, cinco milhões de dólares serão investidos na edificação e aquisição de equipamentos para cargas de temperatura controlada, mais de três milhões para a operação de terminal de combustíveis e nove milhões para a edificação e aquisição de equipamentos para operação do terminal de minérios.

A construção das estruturas da Plataforma do Luau, distribuídas numa área de 7,9 hectares, vai contar com diversas áreas, como a indústria (moagem de cereais, pré-fabricados de betão), turismo e hotelaria, pecuária, exploração florestal e recursos minerais.

O complexo inclui armazéns de temperatura ambiente com capacidade inicial de 583 toneladas, que poderão contar com a classificação de Entreposto Aduaneiro, sendo que a área administrativa vai contar com serviços da Polícia Económica e de Fronteira, Migração e Estrangeiros e Administração Geral Tributária.

Em declarações à imprensa, o administrador da ARCCLA para área de Finanças e Recursos Humanos, Bernardino Francisco, disse que a apresentação das propostas e a selecção do candidato terá um prazo de três meses, e a conclusão do empreendimento está previsto para dentro de dois anos.

Já o secretário de Estado dos Transportes Terrestres considerou que a construção das infra-estruturas, em zona estratégica, é um elemento importante da promoção do crescimento económico do país, facilitando o armazenamento, o transporte e a distribuição de produtos no mercado interno e externo do país.

Segundo Jorge Bengue, a Rede Nacional de Plataformas Logísticas vai fomentar o desenvolvimento equilibrado de todo o território nacional, permitindo o acesso mais rápido e menos oneroso dos bens produzidos nas várias províncias com suporte e soluções tecnológicas, que vão assegurar a visibilidade de toda a cadeia.