Nova Agrolider prevê produzir 70 mil toneladas de banana este ano

Actualmente, a Nova Agrolíder exporta o seu produto para Portugal, África do Sul e Espanha por via marítima, na ordem de 200 a 300 toneladas por semana.

10 Ago 2020 / 13:24 H.

A Nova Agrolíder, empresa que actua nos sectores agropecuário e agroindustrial, com duas unidades de produção, uma em Caxito e outra no Cuanza Sul prevê produzir até Dezembro deste ano cerca de 70 mil toneladas de banana, revelou o seu administrador.

João Macedo, que falava em exclusivo ao Vanguarda indicou investiu, este ano, mais de 40 milhões USD para o aumento da produção e a efectivação de novos projectos, com realce para o aumento da produção da banana. Actualmente a Nova Agrolider exporta o seu produto para Portugal, África do Sul e Espanha por via marítima na ordem de 200 a 300 toneladas por semana, pelo que foram investidos em 2019 mais de 25 milhões USD, segundo João Macedo.

O entrevistado precisou igualmente que o grupo que dirige está a adaptar-se a situação actual, inovando e aumentando a produção de frutas, lutando todos os dias para vencer as dificuldades encontradas no sector, devido a desvalorização da moeda que tem trazido vários problemas à empresa.

O administrador afirma que o mercado nacional está mais difícil e as pessoas, devido a crise, perderam a capacidade de compra. “Notamos que o mercado está muito mais duro, as pessoas têm pouco dinheiro e não compram aquilo que deveriam por falta de capital”, disse sublinhando que o consumo já foi muito maior do que é actualmente e tudo isto não é bom para a economia, porque afecta todos os produtores”.

Aponta que os factores de produção são todos importados, mas se fossem adquiridos e fabricados no mercado nacional, e sem carência de matéria-prima para implementação dos projectos e equipamentos, a desvalorização do Kwanza não constituiria um mal como agora. Frisa que a Nova Agrolider está a tentar ser autossuficiente em divisas, mas, avança, ainda é uma questão que não será resolvida de imediato e classifica ser este um problema que tem afectado as contas da empresa.

João Macedo diz que a dependência do exterior é bastante negativo para a classe, devido a redução do preço dos produtos no mercado nacional e em contrapartida os custos de produção aumentaram. Actaulmente a nova agrolider tem cerca de 3.800 funcionários dos quais 3% são estrangeiros. “Com o surgimento da pandemia da COVID-19, não nos vimos obrigados a reduzir o número de funcionários, aliás tivemos é que aumentar, e esperamos conseguir manter o mesmo número”, explicou João Macedo.