Mercados respiram com tréguas dos EUA à Huawei

China /
24 Mai 2019 / 11:40 H.

Esta semana registaram-se mínimos históricos na rentabilidade das obrigações do tesouro português, abaixo de 1%.

As tréguas dos EUA, por 90 dias, à Huawei permitiram ao mercado respirar um pouco depois das quedas desde o início de maio. A empresa de telemóveis chinesa, a Huawei, é neste momento a principal arma de arremesso na guerra comercial entre os EUA e a China. Donald Trump colocou a Huawei na lista negra, o que levou a Google e as empresas fabricantes de chips a suspenderem os negócios com a empresa chinesa.

A Huawei pode perder o acesso ao Android, Play Store e apps do Google. As administrações das empresas americanas fabricantes de chips Qualcomm, Intel, Xilinx e Broadcom poderão suspender as encomendas para a Huawei. Devido a esse facto, as tecnológicas norte-americanas sofreram fortes quedas no início da semana, mas recuperadas na sessão seguinte.

As actas referentes à última reunião da Reserva Federal, divulgadas na passada quarta-feira, mostram inflação moderada, mas transitória, que será paciente em qualquer movimentação das taxas de juros nos próximos tempos. Os futuros sobre taxas de juro da Fed, negociadas na bolsa de derivados de Chicago, espelham probabilidades de descida das taxas de juro crescente à medida que se aproximam do final do ano. Neste momento, a probabilidade de descida de taxa de juro da Fed em janeiro de 2020 em 25 pontos base, de 2,5% para 2,25%, é de 39%, de 50 pontos base, de 2,5% para 2%, é de 27% e manutenção nos 2,5% é de 21%. Não há, neste momento, perspectivas de subida das taxas de juro da Reserva Federal norte-americana. A descida das taxas juro de longo prazo do dólar, nomeadamente a yield das obrigações do tesouro dos EUA a 10 anos, reflecte um abrandamento económico, baixa inflação e uma política monetária expansionista.

A taxa de juro das obrigações soberanas portuguesas a 10 anos registou um novo mínimo histórico e quebrou os 1%. O spread da dívida portuguesa em relação à alemã a 10 anos, é neste momento de 1,1%, dos mais baixos desde 2008. Entre 1999, quando foi criado o euro, e 2007, o spread andou sempre muito perto de zero, à volta de 0,2%, com o mercado a percepcionar, nessa altura, uma cabal integração europeia.

Esta semana, a Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública – IGCP realizou a troca de maturidade em Abril 2021 para Maio 2026, no montante de 742 milhões de euros, adiando o pagamento da dívida em cinco anos.

A falência da empresa de aviação Low Cost WOW teve um impacto bastante significativo na pequena economia da Islândia, com a redução de turistas, e levou mesmo o banco central islandês a cortar a taxa de juro para estimular a economia que agora se prevê um contracção.