Governador do BNA confirma que transferência de 500 milhões não seguiu regras da instituição

O governador do Banco Nacional de Angola (BNA), José de Lima Massano, disse em tribunal nesta quarta-feira, 15, que o processo de transferência dos 500 milhões de dólares para um banco no Reino Unido teve erros graves e que não cumpriu com as regras da instituição.

Angola /
16 Jan 2020 / 08:32 H.

Depois de ontem o ex-ministro das Finanças e actual governador do Namibe, Archer Mangueira, ter afirmado que foi ele quem aconselhou o Presidente da República, João Lourenço, a suspender a transferência “porque havia muitos riscos nesse processo todo”, o actual governador do BNA confirmou que o processo teve erros graves.

Para Massano para uma transferência desta natureza “era importante que se criasse um processo, com factura, contrato e o nome da instituição”.

“Uma operação que decorra com normalidade não deixa de ficar registada de forma oficial e não foi o caso dessa operação” revelou Massano, indicando que o dinheiro foi enviado em Agosto de 2017, mas a operação só foi registada em Dezembro do mesmo ano.

Embora tenha reconhecido que o Presidente da República tem poder para decidir transferências de elevados montantes, o Conselho Governativo do BNA não pode executar ordens que não se ajustem às normas e do Banco.