ADRA lança consulta para estruturação do plano socioeconómico 2022-2027

Trata-se de projectos financiados por organismos internacionais e nacionais, com o objectivo de participar nos planos estratégicos de desenvolvimento, traçados pelos Governo angolano e, ao mesmo tempo, contribuir para a melhoria do bem-estar socioeconómico das famílias.

Luanda /
12 Out 2022 / 13:03 H.

A organização não-governamental angolana Acção para o Desenvolvimento Rural e Ambiente (ADRA) lançou, terça-feira (11), na província do Huambo, uma consulta pública para adequação e estruturação do plano socioeconómico 2022-2027, assente na melhoria do bem-estar das comunidades.

O lançamento do processo de recolha de contribuições decorreu à margem do XVI encontro das comunidades do município da Caála, província do Huambo, do qual fizeram parte agentes comunitários, membros de cooperativas e associações de camponeses e técnicos da Administração local.

Com a duração de 15 dias, o processo de consulta pública deverá acontecer em simultâneo com os municípios do Bailundo e Longonjo, onde existem projectos da organização, na sua maioria, ligados à agricultura e pecuária, na perspectiva do aumento da renda das famílias.

Trata-se de projectos financiados por organismos internacionais e nacionais, com o objectivo de participar nos planos estratégicos de desenvolvimento, traçados pelos Governo angolano e, ao mesmo tempo, contribuir para a melhoria do bem-estar socioeconómico das famílias.

Na ocasião, a directora da ADRA no Huambo, Cidália Gomes, disse tratar-se de um plano focado na melhoria dos programas agrícolas, pecuários, assistência aos camponeses, felicitação de métodos agronómicos, protecção do meio ambiente, técnicas de fomento de pequenos negócios, revitalização das caixas comunitárias, educação para a cidadania e expansão dos direitos humanos.

A responsável disse que a ADRA perspectiva, igualmente, apostar na avaliação dos projectos socioeconómicos, nos últimos cinco anos, para além de projectar novas acções concretas para 2022-2027, a fim de apoiar o Governo da província do Huambo na implementação de planos estratégicos de desenvolvimento.

Depois da estruturação dos projectos, disse, caso haja interesses para os outros municípios, os planos serão replicados para abranger indirectamente a maioria da população da província do Huambo.

“Hoje procuramos avaliar o impacto dos projectos desenvolvidos e a estruturação de outros para o bem-estar das comunidades”, frisou.

Por seu turno, o administrador do município da Caála, Ruben Etome, solicitou que a intervenção da ADRA nos projectos do sector social e da agricultura, para a sustentabilidade da segurança alimentar e, ao mesmo tempo, estimular a governação participativa a nível da província do Huambo em busca do entendimento comum.