Actividades económicas informais começam a ser regularizadas no mercado dos Congolenses

A campanha vai estender-se por um período de 90 dias, os operadores económicos do mercado poderão ser formalizados das actividades económicas que vai permite-lhes acesso à segurança social, microcrédito, frequentar formações em matéria de literacia financeira, capacitação, Número de Identificação Fiscal.

Angola /
09 Mai 2022 / 08:21 H.

O Secretário de Estado para a o Planeamento, Mílton Reis, trabalhou nesta sexta- feira, 06, no mercado do Congolenses, município do Rangel.

O acto contou com as presenças do secretário de Estado para o Planeamento, Milton Reis, vice-governador para área económica, Lino kienda, presidente da Comissão de Luanda, Maria António Nelumba, Administradora do distrito Urbano do Rangel, Nádia Neto, membros do Conselho de Administração do INAPEM, AGT, MAPTSS e vendedores do mercado.

O evento serviu igualmente para apresentar os objectivos do Programa de Reconversão da Economia Informal (PREI), na ocasião, foram entregues cartões de utentes de bancada 4 vendedores formalizados no mercado.

A campanha vai estender-se por um período de 90 dias, os operadores económicos do mercado poderão ser formalizados das actividades económicas que vai permite-lhes acesso à segurança social, microcrédito, frequentar formações em matéria de literacia financeira, capacitação, Número de Identificação Fiscal e outras valências.

No mercado do Congolenses esperam-se formalizar cerca de 14 mil agentes económicos informais. Com o PREI, agora os comerciantes e vendedores da província podem formalizar o seu negócio para que tenham acesso à segurança social, capacitação e microcrédito e outros serviços.

Empreendedores do mercado Congolense podem formalizar a actividade económica gratuitamente e com mais facilidade.

O PREI leva serviços integrados da Administração Pública, nomeadamente, registo e identificação civil, emissão do cartão de vendedores de bancada e ambulantes, activação do Número de Identificação Fiscal, emissão de certidão comercial, inscrição no Instituto Nacional de Segurança Social para as contribuições mensais, certificação de micro e pequenas empresas, capacitação pelo INAPEM e INEFOP, microcrédito com valores que vão dos 50 mil até os 7 milhões kz.