ACNAE diz que Angola tem “papel fundamental” para ajudar Europa na transição energética sustentável

Manuel Gil Antunes destacou que Angola, “além dos recursos naturais fósseis” dispõe de outros trunfos, como a sua localização geográfica, o clima, e a área disponível da frente de costa.

Angola /
25 Mai 2022 / 09:24 H.

O vice-presidente do Conselho de Negócios para o Desenvolvimento Afro-Europeu (ACNAE), Manuel Gil Antunes, considerou, em Lisboa, que Angola tem “um papel fundamental” para ajudar a Europa a fazer a transição energética sustentável.

Manuel Gil Antunes, que falava à Lusa no final da apresentação do livro “Os avanços de Angola 2017/2022”, primeiro acto do recém-criado ACNAE, destacou que Angola, “além dos recursos naturais fósseis” dispõe de outros trunfos, como a localização geográfica, o clima, e a área disponível da frente de costa.

“Os recursos de Angola são indispensáveis para a transição energética e para a descarbonização da Europa. Ou seja, para ajudar a Europa a atingir as metas que ela própria impôs e que são indispensáveis para a sua sustentabilidade e para a nossa sustentabilidade. De todos, não é só dos europeus”, defendeu.

Manuel Gil Antunes salientou a existência de “instrumentos quer do ponto de vista financeiro, quer do ponto de vista regulatório que estão à disposição dos empresários e dos países”.

O embaixador de Angola em Lisboa, Carlos Alberto Fonseca, destacou o histórico de Angola na exploração e produção de energia.

“Nós temos um recurso energético que é muito importante, que é a energia solar. A energia eólica também e nós também estamos a olhar para essa fonte de energia”, salientou, referindo o caso da província do Namibe, no sul de Angola, que têm já em curso projectos-piloto de desenvolvimento desse tipo de energia.

Temas