Lixo pode paralisar hidroeléctrica de Chicapa

A barragem hidroeléctrica de Chicapa, província da Lunda Sul, pode paralisar a qualquer momento, se não se retirar o acúmulo de lixo que condiciona as condutas, albufeiras e turbinas, advertiu, terça-feira, o director do empreendimento, Kabaca Nzimba.

Angola /
15 Mai 2019 / 16:03 H.

Segundo o gestor, três a quatro toneladas de resíduos sólidos são, em média, retirados diariamente ao longo das condutas de água e das albufeiras.

Em consequência, parte dos 9.95 milhões de metros cúbicos de água da albufeira foi consumida por areia do rio Muangueji e resíduos que danificaram os caminhos de força das águas.

Kabaca Nzinga disse que a solução do problema passa por paralisar todas as máquinas, abrir as comportas e tentar retirar a areia acumulada.

Entretanto, o gestor alertou que esse processo pode levar, no mínimo, 22 dias.

A hidroeléctrica de Chicapa, inaugurada em 2008, tem capacidade instalada de produção de 16 megawatts de energia eléctrica, 12 dos quais são para a Sociedade Mineira de Catoca e os quatro beneficiam parte do centro da cidade de Saurimo.

A cidade de Saurimo é alimentada, em cerca de 96 por cento, pelas centrais térmicas, principais fontes de fornecimento de energia.

Temas