Angola vai inserir conteúdos de educação financeira no ensino a partir de 2022

O Ministério da Educação angolano e a Agência Angolana de Regulação e Supervisão de Seguros (ARSEG) assinaram hoje, em Luanda, um protocolo de cooperação para a introdução de conteúdos de educação financeira no sistema de ensino angolano, a partir de 2022.

Angola /
07 Jun 2019 / 15:01 H.

Estabelecer as premissas para inserção de matérias sobre literacia financeira no currículo do ensino secundário, ensino técnico profissional, bem como produção de conteúdos sobre educação financeira são alguns dos objectivos do protocolo.

O director do Instituto Nacional de Investigação e Desenvolvimento da Educação (INEDE) angolano, Manuel Afonso e o administrador da ARSEG, Silvano Pinto Adriano, foram os signatários desse protocolo, cuja cerimónia decorreu na sede do Ministério da Educação.

Segundo o presidente do conselho de administração da ARSEG, Aguinaldo Jaime, o protocolo de cooperação institucional, que prevê também a formação dos professores, visa “munir os estudantes” de matérias sobre “melhor gestão das finanças pessoais e patrimoniais”.

“Efectivamente, matérias como a intermediação financeira, a gestão financeira, a protecção de pessoas e bens, acautelar o futuro através de esquemas de protecção social complementar, todas essas matérias vão passar a ser ministradas as crianças desde tenra idade”, disse.

Para o presidente da ARSEG, Angola “está a dar passos importantes” no sentido da diversificação e consolidação do sistema financeiro, mas, observou, “ainda temos pela frente um longo caminho a percorrer”.

“E por isso, devemos reforçar a nossa literacia financeira para que todos percebam a importância de bem gerir as nossas finanças”, realçou.