Doentes com insuficiência renal queixam-se dos elevados custos

Os doentes com insuficiência renal internados no Centro de Hemodiálise adstrito ao Hospital Central do Huambo queixam-se dos elevados custos no tratamento da enfermidade, com realce para aplicação das fístulas que estão no valor de 300 mil Kwanzas.

Angola /
09 Out 2019 / 15:19 H.

Segundo apurou a ANGOP, muitos destes doentes têm de deslocar-se à capital do país para a aplicação das fístulas, que consiste na construção de um canal que junta uma artéria com uma veia que após algum tempo permita suportar o fluxo de sangue adequado para a diálise.

Para que possam ser submetidos a este processo cirúrgico gratuito, nas unidades públicas, os pacientes têm de enfrentar bastante burocracia e tempo para a sua concretização, dai que muitos doentes têm de recorre às unidades privadas.

Este é o caso da doente Emília Neusa, uma das pacientes actualmente internada no centro de hemodiálise da província, que confirmou que, além dos gastos com as passagens, teve a necessidade de deslocarem-se a Luanda e pagar 300 mil kwanzas para a aplicação da fístula, em clínicas privadas.

Já Agostinho Pascoal referiu que, à semelhança de outros doentes, tem encontrado enormes dificuldades na aquisição do material, pois que para doentes com idade superior a 20 anos, são-lhes aplicados o idealizador F10 ou F100, também conhecido como rim artificial, mas, infelizmente nos últimos tempos, são obrigados a utilizar o F5, apropriados para os menores desta idade, por insuficiência de stock.