Venezuela: Guaidó pede à UE que ajude a acelerar a saída de Maduro

O presidente do Parlamento da Venezuela, Juan Guaidó, enviou uma carta aos ministros dos Negócios Estrangeiros e à Alta Representante da UE para a Política Externa pedindo-lhes que ajudem a acelerar a saída de Nicolás Maduro do poder.

14 Mai 2019 / 18:00 H.

O meu Governo está a trabalhar com os nossos parceiros internacionais para mudar este cenário (crise) e criar as condições para levar a cabo o processo de transição pelo qual a grande maioria dos venezuelanos protestam diariamente. A Europa tem um papel fundamental a desempenhar nesta estratégia”, explica Juan Guiado na carta enviada a Federica Mogherini e aos chefes de diplomacia dos Estados-membro da União Europeia.

Segundo Juan Guaidó, o papel da Europa passa ainda por coordenar ações com a Organização de Estados Americanos e o Grupo de Lima, um maior reconhecimento sobre a legitimidade do Governo interino, intensificar esforços para garantir justiça, investigando e processando todas as violações de direitos humanos.

O líder do Parlamento venezuelano e autoproclamado Presidente interino pede ainda à União Europeia e seus Estados-membros que se envolvam em planos de estabilização e reconstrução do país.

A carta explica que “os venezuelanos estão profundamente gratos pelo apoio contínuo da Europa, em particular, pela liderança demonstrada em resposta à crise humanitária e pelos esforços através do Grupo de Contacto Internacional”.

Para Juan Guaidó, as declarações da UE dão visibilidade à situação trágica na Venezuela, em particular “a emergência humanitária complexa, à perseguição contra os deputados da Assembleia Nacional e outros líderes e membros de partidos políticos da oposição, aos actos de violência contra jornalistas, à existência de grupos armados irregulares e à violência contra os manifestantes pacíficos que querem a restauração da democracia no país”.