PM do Haiti condena violência em protestos

O primeiro-ministro do Haiti condenou a violência, que causou pelo menos dois mortos, durante as manifestações de domingo para exigir a demissão do Presidente Jovenel Moise.

11 Jun 2019 / 10:58 H.

“Acções lamentáveis que não puderam ser evitadas mancharam a jornada que terminou com a morte de duas pessoas e a destruição de alguns bens materiais”, afirmou na segunda-feira Jean Michel Lapin.

“Lamentamos estas mortes ocorridas nestas circunstâncias e apresentamos sinceras condolências aos familiares das vítimas”, afirmou.

O primeiro-ministro haitiano felicitou a polícia pelo “excelente trabalho profissional” e advertiu que “o direito ao protesto é um direito constitucional, mas a violência não é aceitável”.

Milhares de haitianos saíram à rua em Port-au-Prince e nas principais cidades do país para denunciar a corrupção política e exigir a demissão do Presidente Moise.

Um porta-voz do sector Democrático e Popular, que agrupa vários grupos da oposição e organizações sociais André Michel indicou à imprensa terem contado “sete mortos e mais de cem feridos”.

Temas