Depois da Huawei, Trump quer parar negócios da chinesa Hikvision

A administração norte-americana liderada por Donald Trump está a considerar estender a outras empresas chinesas o pacote de sanções destinado à Huawei e em vista está a Hikvision, uma empresa de vigilância.

EUA /
23 Mai 2019 / 11:37 H.

O figurino é o mesmo: restrições à compra de tecnologia norte-americana por parte da Hikvision e a obrigação, para as empresas norte-americanas fornecedoras, da obtenção de uma espécie de visto prévio governamental antes de manterem os contactos comerciais com a empresa chinesa.

Recorde-se que os Estados Unidos colocaram a Huawei Technologies numa lista negra na semana passada, proibindo as empresas norte-americanas de fazerem negócios com a maior fabricante de equipamentos de rede de telecomunicações do mundo.

Os Estados Unidos acusaram a Huawei de atividades contrárias à segurança nacional, uma acusação que a empresa chinesa nega. No entanto, já esta semana, a administração Trump concedeu à empresa uma licença para comprar bens norte-americanos até ao dia 19 de agosto, depois de um dos seus fornecedores, a Google, ter dado a entender o desastre que a decisão da Casa Branca poderia constituir.

“Mesmo que os Estados Unidos proíbam as vendas à nossa empresa, podemos remediar isso através de outros fornecedores”, disse um executivo da Hikvision, citado por vária agências de notícias, repetindo aquilo que, oficialmente, a Huawei já tinha afirmado.