Whatsapp pede aos utilizadores que atualizem a ‘app’ após detectar ataque cibernético

A plataforma de mensagens instantâneas online Whatsapp foi alvo de um ataque cibernético, noticia a “BBC”, esta terça-feira.

EUA /
14 Mai 2019 / 11:16 H.

Um grupo de “piratas informáticos com muita experiência” instalou nos telemóveis de alguns utilizadores, através da aplicação de mensagens, um software que permite monitorizar a actividade dessa pessoa através da extracção dos seus registos telefónicos, de mensagens e de navegação online.

Os engenheiros dos Whatsapp dizem que o ataque foi executado por profissionais e que os alvos foram “selecionados” e “restritos”.

O “Financial Times” informa que os autores do ataque fazem parte da empresa de segurança chamada NSO Group que foi criada ao abrigo do programa de financiamento de startups do Exército israelita, a 8200 Intelligence Unit. O grupo descreve-se como “um grupo que cria ferramentas online para combater o crime e o terrorismo”.

Apesar de ser uma empresa se segurança, o NSO Group é uma empresa israelita associada a tráfico de “armas cibernéticas”. Se reconhece o nome do grupo é porque este é o mesmo que, por breves momentos em 2016, fez estragos ao software da Apple, um reconhecido mundialmente por ser extremamente difícil de corromper.